Diário de Viagem

Península Valdes

A Península Valdes abrange uma área de 3.000 Km² dentro da Província Argentina de Chubut, próximo à cidade balneária de Puerto Madryn, declarado “Patrimônio Natural da Humanidade” desde 1999 (UNESCO). É um santuário ecológico com diversificada vida selvagem, onde se encontram orcas, baleias franca, elefantes e lobos marinhos, guanacos, ñandues (emas) e grande variedade de pássaros, como os cormoranes. Dentro da Península estão as Salinas Grandes, um grande lago de sal situado 40 metros abaixo do nível do mar e o ponto mais baixo da América do Sul.

 
Antes de ter acesso à Península, procuramos informações no Centro de Orientação ao Turista, que possui um pequeno museu e salas para audiovisuais. E então soubemos que não havia uma única vaga em hotel ou camping, repetindo-se, ao que tudo indicava, nossa experiência em Torres Del Panes. Resolvemos arriscar e completamos os 76 km em asfalto até Puerto Pirâmides, à beira do Golfo Nuevo. Para nossa surpresa, não foi difícil encontrar alojamento numa pousada de razoável conforto nesse pequeno povoado, que comporta várias opções de pousadas, camping, bares e restaurantes, além de posto de combustível. E um providencial mecânico/eletricista que deu assistência à Land do Telles , mais uma vez com problemas no alternador. A praia local não tem nenhuma beleza, mas o por do sol, visto do bar à beira do Golfo, saboreando um bom vinho de Mendoza, é soberbo!
No dia seguinte percorremos as estradas de rípio que cortam a Península. Em Punta Delgada e Caleta Valdez, lobos (ou leões) marinhos se reproduzem e têm suas crias no período de dezembro a março, por isso pudemos observar, dos mirantes bem localizados, grupos desses animais onde se destacam machos enormes rodeados de um harém de fêmeas e filhotes. Aqui também pode acontecer a presença de Orcas que chegam à praia para se alimentar de filhotes de lobos marinhos, o que infelizmente só vimos através de fotos do observatório local. Dois quilômetros ao norte existe uma colônia de pingüins de Magalhães. Nesses locais, bem como em Punta Delgada, são observados também os gigantescos elefantes marinhos. Esses animais vivem a 400 km mar a dentro e só as fêmeas vêm ao continente para ter suas crias, aguardando cerca de 4 meses para que os filhotes aprendam a nadar e obter alimentos por conta própria. Na Pingüinera de Punta Tombo, ao sul da Península, tem-se um contato direto com uma legião de Pingüins de Magalhães, um prato cheio para boas fotos.
Outro programa interessante para se fazer nessa região, entre os meses de julho a dezembro, é a observação de baleias da espécie franco-austral. Diversas empresas oferecem excursões marítimas para observação das baleias que chegam todos os anos à Península, atraídas pelas águas pouco profundas do Golfo Nuevo, onde realizam seus rituais de reprodução e cria.
Puerto Madryn é chamada de capital do mergulho na Argentina e atrai mergulhadores de todo o mundo, em razão da abundante fauna marinha e da transparência de suas águas. Há muita oferta de cursos, aluguel de equipamento e programas de mergulho, aqui designados de “buceos desportivos”.
A noite de sábado na Península Valdés foi de confraternização com argentinos e italianos, regrado com muito vinho.

(Ushuaia/Península Valdes: 1860 km).

Todos os direitos reservados -- LoucosPorNatureza 2005
WebDesigner

EXPEDIÇÃO PATAGÔNIA 2005