Diário de Viagem

Parque Nacional Los Glaciares/ Torres Del Paine
Parque Nacional Los Glaciares: Situados na Província de Santa Cruz, os 446.000 ha do Parque Nacional Los Glaciares foram declarados Patrimônio da Humanidade pela Unesco em 1981. 40% de todo esse território é coberto pelo conjunto conhecido como Campo de Gelo Patagônico. Dois lagos enormes, o Viedma, ao Norte, e o Argentino, ao Sul, dividem o parque que abriga diversos glaciares, 14 sítios arqueológicos, florestas pouco densas, campos de estepe e espécies animais características.
 
Dia 07/01/2005, sexta-feira, deixamos El Calafate e retomamos a ruta 40 em direção a Torres Del Paine. A maior parte da estrada está asfaltada nesse trecho, até Cancha Carrera, mas a sinalização é deficiente, o que pode provocar erros de percurso e que só evitamos porque o providencial GPS corrige tudo... Desse ponto da Argentina, retornamos ao território chileno.
Na passagem pelas fronteiras não é permitido portar alimentos perecíveis. Em cada passagem pelas aduanas, que serão 18 até o final da viagem, repetem-se os mesmos procedimentos. Inúmeros e confusos papeis a serem preenchidos, passando por vários guichês e carimbos. Quando se acumulam ônibus e vans, temos que enfrentar filas interminais, agentes de turismo que passam na frente dos demais. Não raro alguns funcionários discordam do procedimento de outros. E não podemos deixar de lembrar dos mau humorados e por vezes descorteses, principalmente os argentinos. E não vai nenhum preconceito nessa avaliação: ficaríamos felizes se pudéssemos fazer uma apreciação diferente...
 

Do lado chileno o abastecimento de combustível é precário: em Cierro Castilho, na divisa, abastecemos num posto improvisado, num casebre que só encontramos depois de muito perguntar. Em Torres Del Paine, apesar do grande movimento de turistas, não há postos e só se abastece em Puerto Natales e Puerto Arenas. Não se deve descuidar do marcador de combustível e se o tanque for pequeno, um reserva, embora proibido, pode ser a salvação.
Finalmente chegamos ao internacionalmente famoso PARQUE NACIONAL TORRES DEL PAINE.

 
Parque Nacional Torres Del Paine: Parque localizado entre a Cordilheira dos Andes e a estepe patagônica, foi criado em 1959 e é reverenciado principalmente pelos amantes do trekking e ciclismo. Tem uma constituição geomorfológica resultante de forças tectônicas e glaciares que produziram grandes maciços graníticos e rochas sedimentares. Povoado por exemplares de puma, zorros (raposa), guanacos, huemul (um tipo de cervo), ñandus (semelhante à ema), carpinteros e muita ave migratória. É uma região de rara beleza natural.
 

O ingresso no parque custou 20 dólares por pessoa, apenas para se ter o direito de atravessar o portal de entrada. E paga-se $3.500 pesos chilenos por dia, por pessoa, para acampar. Atenção: se for fazer cambio de dólares no local, vai pagar um adicional de mais de 15% do oficial, um verdadeiro assalto.
A imensa área do Parque possui vários Hotéis, Pousadas e áreas de Camping. Não tivemos sorte, pois apesar de tantas possibilidades de alojamento, estava tudo completamente lotado, inclusive camping. Como não tínhamos para onde ir, a não ser que abandonássemos o passeio, o administrador do parque permitiu que nos acomodássemos numa área aberta, atrás do prédio da administração, servida de banho quente. O Luis Fernando e eu, alojamos-nos em uma barraca, os demais pernoitaram dentro dos próprios veículos, na falta de outro recurso. Informações que tivemos é que as diárias dos hotéis no parque são altíssimas e só com muita antecedência se consegue reserva, sendo ocupadas em geral por europeus e norte-americanos. Terceiro mundo está fora dessa...
O Parque faz jus à fama que tem: possui uma grande variedade de ambientes como montanhas, vales glaciais, lagos, rios e quedas de água. Além da imponente estrutura geológica da Cordilheira Paine e parte do Campo de Gelo Patagônico Sul. Nessa época do ano, às 05:30 hs o sol projeta os primeiros raios nas montanhas, refletindo cores que vão do vermelho ao laranja e amarelo, e às 22 hs completa um por de sol deslumbrante nas mesmas cores. As trilhas bem organizadas, com serviço de apoio, fazem as delícias dos amantes de trekking: são famosos os Circuitos “W” (50,1 kms) e o “Macizo Paine” (123,2 kms). A magnífica visão das geleiras dos Glaciares e a cor deslumbrante da água dos lagos, transcendem tudo o que os nossos olhos já viram antes. Até parecem frutos de um filme de efeitos especiais da própria natureza. No percurso se faz um verdadeiro safári fotográfico: huemures, guanacos, gaviões, cisnes, patos, carpinteros (pica-pau) etc. E nos lagos, enormes blocos de gelo azulados flutuando. É de embasbacar.

(El Calafate/Torres Del Paine: 204 km).

Todos os direitos reservados -- LoucosPorNatureza 2005
WebDesigner

EXPEDIÇÃO PATAGÔNIA 2005