MANJERICÃO
(Ocimum basilicum)


O manjericão é uma planta da família das labiadas, que só do gênero Ocimum tem cerca de 60 espécies diferentes. A que apresenta a melhor qualidade em óleo essencial e aroma é o Ocimum basilicum L., do tipo europeu, também chamado de manjericão doce. No Brasil, essa espécie não deve ser confundida com outras, também conhecidas como manjericão ou alfavaca. O manjericão-doce é originário da Ásia (Índia) e África (Egito). No Brasil, a planta é perene e chega a 50 cm de altura, tem folhas largas e aromáticas e dá flores brancas: usamos apenas as folhas. O nome vem do grego BASILIKON e quer dizer "erva rainha". É costume colocar ramos dessa erva nas gavetas e armários para perfumá-los e repelir insetos. Na bruxaria dizem que espanta pragas e maus espíritos. São também da família das labiadas a hortelã, alecrim, melissa, poejo, orégano, tomilho, alfavaca, manjerona, entre outras.
CLIMA E SOLO: Prefere clima ameno, quente e úmido. Não tolera temperatura baixa e nem geadas. O manjericão prefere solos relativamente soltos, ferteis, permeáveis, frescos e ricos em matéria orgânica decomposta.
PLANTIO: O manjericão se propaga por meio de sementes, em sementeiras ou no local do plantio definitivo. As mudas de sementeiras são transplantadas quando atingem de 10 a 15 cm de altura ou tiveram um mínimo de 5 ou 6 folhas. O espaçamento recomendado é de 60 cm entre linhas e 30 cm entre as plantas. Em regiões tropicais pode-se plantar o ano todo desde que as temperaturas não sejam inferiores a 18c nos 3 meses seguintes ao plantio. Mas o manjericão também pode ser plantado por mudas : retira-se um ramo saudável de uma planta adulta, desfolhando-se a base e enterrando-se a maior parte do ramo no solo. O manjericão gosta de água. Os botões de flores devem se cortados pois roubam muito o aroma das folhas. Quando os ramos estiverem mais velhos, uma boa poda faz o arbusto brotar com nova força.
COLHEITA: O corte é feito a 15 cm do solo. Isso garantirá melhor rendimento na segunda colheita. Uma boa cultura proporciona de 1 a 1,5 kg de ramos e folhas frescas por touceira.
UTILIDADES: É um dos ricos temperos da cozinha italiana. No famoso "spaguetti al pesto", o "pesto" é o manjericão. È amplamente utilizado em molhos e carnes, devendo ser adicionado quando o prato estiver quase pronto pois o sabor se perde com o calor. Tem um perfume delicado e sabor suave e levemente picante. Suas folha, frescas ou secas, dão um "toque" estimulante e marcante principalmente em molhos. Mas também tempera bem as leguminosas, raízes, couves, repolhos, pratos de cereais, sopas e assados (no cabrito fica uma delícia!). Uma salada muito conhecida na cozinha italiana é feita com pedaços de tomate, queijo mussarela de búfalo e bastante manjericão. Como planta medicinal o manjericão combate vômitos, cólicas intestinais e diarréias; ativa os órgãos sexuais, a menstruação e combate a esterilidade. Age sobre o aparelho urinário ativando os rins e aliviando o ardor à micção. Atua nos estados gripais aliviando tosses, bronquite e rouquidão. Usa-se o chá de folhas de manjericão em gargarejo para as dores de garganta; em bochechos ajuda a cicatrizar aftas; o chá é diurético, aliviando a disúria. É tônico e anti-séptico.

Todos os direitos reservados -- LoucosPorNatureza 2005
WebDesigner

ERVAS AROMÁTICAS