BARBATIMÃO
(Stryphnodendron adstringens Mart.)

Árvore encontrada nas matas da região do cerrado, com floração escura e discreta. Sempre floresce, por volta de janeiro, mas não é todo ano que produz frutos. Árvore muita conhecida por suas propriedades adstringentes por conta dos taninos encontrados em torno de 20% na sua casca. É também utilizada em paisagismo.

Possui várias indicações tópicas e de uso interno via oral.
Utiliza-se mais a casca do caule, fator limitante do seu uso, pois se mal extraída a casca, a árvore pode morrer por contaminação por brocas, principalmente se o ecossistema estiver em desequilíbrio.
Esta planta pode ser utilizada para várias finalidades terapêuticas como:
- Adstringente em geral²,
- Cicatrizante²,
- Antiblenorrágico² ³,
- Diarréia² ³,
- Úlceras²,
- Anti-séptico (Staphylococcus e Pseudomonas)4,
- Anti-protozoário¹ (Doença de chagas),
- Corrimento vaginal na forma de banho de assento³,
- Acne e pele oleosa³,
- Antiinflamatório³,
Pode ser usado na forma de tintura, extrato glicólico, chá, pó ou extrato seco.


Para uso tópico:
• Gel não-iônico a 10% de tintura ou extrato glicólico (pele íntegra),
• Compressa com o chá em feridas do tipo ulcerosas necrosantes.
Para uso oral:
• Chá – Uma colher de sopa de casca do caule para um litro de água. Tomar até cinco xícaras por dia.
• Para o pó ou extrato seco não foram encontrados estudos em humanos, somente em ratos, portanto não há uma dose científica definida para esta forma farmacêutica.

Referência:

1- Grupo de pesquisas do Cerrado da Faculdade Federal de Goiás. Pesquisa em andamento.
2- Rodrigues, Valéria Evangelista Gomes. Plantas medicinais no domínio dos cerrados. Lavras: UFLA, 2001.
3- Lorenzi, Harri/ Matos, Francisco José de Abreu. Plantas Medicinais no Brasil: nativas e exóticas. Nova Odessa, SP : Instituto Plantarum, 2002.
4- Farmacognosia: da planta ao medicamento/ organizado por Cláudia Maria Oliveira Simões; Miguel Pedro Guerra et al – 5ª edição ver. ampl., primeira reimpressão – Porto Alegre/Florianópolis: editora da UFRGS/ editora da UFSC, 2004.


Todos os direitos reservados -- LoucosPorNatureza 2005
WebDesigner
ERVAS MEDICINAIS